Follow by Email

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

CONHECE ALGUÉM DA LISTA?

Com certeza, se almejamos ver o nosso nome na lista de best sellers da categoria, devemos ter conhecimento de alguns autores que figuram na mesma. No canto superior direito do Blog, para visualização da VEJA. Pode confirmar que são livros os quais até já tenha lido, embora não sabendo definir o que os tenha distinguido assim dos demais. A capa? O título? O número de páginas? A linguagem? A trama? O envolvimento, ou seja, a atuação de cada personagem na história? O cenário? A forma em que o autor escolheu para narrá-la?
Os catedráticos, ou doutores na matéria, que me perdoem, e não imputem a minha ignorância, pois, às vezes não me ocorrem sequer os termos adequados ao que pretendo expressar aqui. Todavia, como eu já disse anteriormente, não tenho a mínima pretensão de ensinar, mas de aprender. Por isso estejam à vontade para me corrigirem naquilo que porventura houver alguma falha. Para mim é um tanto mais honroso se admoestado por um sábio, do que permanecer na ignorância. Porém, enfatizo que para ser um bom contador de histórias não é necessário às vezes um curso superior ou uma formação acadêmica. O exímio contador de histórias possui todas as manhas necessárias a fim de cativar o ouvinte, ou que seja o leitor. E é isto que faz com que o seu livro seja lido. O que quer dizer que não é apenas um componente em separado que influi, mas o conjunto de todas as características em perfeita harmonia e funcionamento.
Contudo, nem todos são dotados de tais qualidades. Ninguém seria capaz de montar um relógio, ou consertar um carro, sem o prévio conhecimento de como funciona, e para que serve cada uma das peças que o formam. Assim, para a criação de qualquer romance que consiga comover os corações de milhões de leitores no mundo inteiro, é necessário ter o conhecimento da influência exercida por cada peça do mesmo na alma do ser humano. É possível, com o nosso esforço e persistência, aprendermos de que forma espetacular pode ser construído um maravilhoso romance, com todas as peças necessárias interligadas umas às outras como numa perfeita máquina em funcionamento. Nos romances mais procurados e lidos, tais partes são projetadas de uma maneira que por um lado parece singular, mas por outro controlado e orientado por algumas regras. O livro deve ser trabalhado. Uma obra perfeita nunca nasce do nada. Deus trabalhou seis dias na criação do mundo. Portanto, desde a concepção inicial de uma história, passando pela construção e reconstrução de roteiros da trama, desenvolvimento de personagens e intensificação de seus relacionamentos, reconstituição de cenas no primeiro esboço, e finalmente o esforço de enriquecer, reescrever e polir o original, antes da entrega às editoras, deve ser um trabalho estafante, mas que no final nos dará a alegria de uma compensadora vitória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário